sexta-feira, 23 de setembro de 2011
Quando fazemos tudo para que nos amem e não conseguimos, resta-nos um último recurso: não fazer mais nada. Por isso, digo, quando não obtivermos o amor, o afeto ou a ternura que havíamos solicitado, melhor será desistirmos e procurar mais adiante os sentimentos que nos negaram. Não fazer esforços inúteis, pois o amor nasce, ou não, espontaneamente, mas nunca por força de imposição. Às vezes, é inútil esforçar-se demais, nada se consegue;outras vezes, nada damos e o amor se rende aos nossos pés. Os sentimentos são sempre uma surpresa. Nunca foram uma caridade mendigada, uma compaixão ou um favor concedido. Quase sempre amamos a quem nos ama mal, e desprezamos quem melhor nos quer. Assim, repito, quando tivermos feito tudo para conseguir um amor, e falhado, resta-nos um só caminho...o de mais nada fazer.


Clarice Lispector


sexta-feira, 9 de setembro de 2011
A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos,na prudência egoísta que nada arrisca e que, esquivando-nos do sofrimento, perdemos também a felicidade.
A dor é inevitável. O sofrimento é opcional.


Carlos Drummond de Andrade
sábado, 13 de agosto de 2011
"Não me lembro mais onde foi o começo, foi por assim dizer escrito todo ao mesmo tempo. Tudo estava ali, ou devia estar, como no espaço-temporal de um piano aberto, nas teclas simultâneas do piano. Escrevi procurando com muita atenção o que se estava organizando em mim e que só depois da quinta paciente cópia é que passei a perceber. Meu receio era de que, por impaciência com a lentidão que tenho em me compreender, eu estivesse apressando antes da hora um sentido. Tinha a impressão de que, mais tempo eu me desse, e a história diria sem convulsão o que ela precisava dizer. Cada vez mais acho tudo uma questão de paciência, de amor criando paciência, de paciência criando amor."
segunda-feira, 4 de julho de 2011

Uma parte de mim
é todo mundo:
outra parte é ninguém:
fundo sem fundo.
Uma parte de mim
é multidão:
outra parte estranheza
e solidão.
Uma parte de mim
pesa, pondera:
outra parte
delira.

Uma parte de mim
alomoça e janta:
outra parte
se espanta.
Uma parte de mim
é permanente:
outra parte
se sabe de repente.

Uma parte de mim
é só vertigem:
outra parte,
linguagem.

Traduzir uma parte
na outra parte
_ que é uma questão
de vida ou morte _
será arte?

 
                                                                                                                                        Ferreira Gullar
sexta-feira, 1 de julho de 2011
    Em 13 de julho de 1985, Bob Geldof organizou o Live Aid, um show simultâneo em Londres na Inglaterra e na Filadélfia nos Estados Unidos. O objetivo principal era o fim da fome na Etiópia e contou com a presença de artistas como The Who, Status Quo, Led Zeppelin, Dire Straits, Madonna, Queen, Joan Baez, David Bowie, BB King, Mick Jagger, Sting, Scorpions, U2, Paul McCartney, Phil Collins (que tocou nos dois lugares), Eric Clapton e Black Sabbath.
                                                                                                                                                             
1950 - Há muita discussão sobre qual deveria ser considerada a primeira gravação rock & roll. Uma forte candidata é "Rocket 88", de Jackie Brenston e os Delta Cats (na verdade, Ike Turner e sua banda The Kings of Rhythm), em 1951. Em 1955, "Rock Around the Clock" de Bill Haley se tornou a primeira canção de rock and roll a chegar ao topo da parada de vendas e execuções da revista Billboard e abriu caminho mundialmente para esta nova onda da cultura popular. Revista Rolling Stone de 2004 argumentou que "That's All Right (Mama)", de 1954, o primeiro single de Elvis Presley (com Scotty Moore na guitarra e Bill Black no baixo) para a Sun Records em Memphis foi o primeiro registro de rock and roll na história e a criação do som "rockabilly" característico da Sun Records. Outros artistas que lançaram os primeiros sucessos do rock and roll foram Chuck Berry, Bo Diddley, Fats Domino, Little Richard, Jerry Lee Lewis e Gene Vincent

1960 - A cena do rock britânico tinha ganhado grupos como Beatles debruçados sobre um vasto leque de influências que incluíam a soul music, o rhythm and blues e a surf music. Em meados de 1962, os Rolling Stones foram um dos numerosos grupos surgidos e que mostravam uma influência blues cada vez maior, juntamente com os Animals e os Yardbirds. No fim de 1964, as bandas The Kinks, The Who, The Doors e The Pretty Things representavam o novo estilo Mod. Perto do final da década, grupos de rock britânico começaram a explorar estilos musicais psicodélicos que faziam referência a subcultura das drogas e experiências alucinógenas.
1970 - Grupos como, Led Zeppelin, Nazareth, Grand Funk Railroad, Nazareth, Queen, Deep Purple, Black Sabbath , Alice Cooper, Judas Priest, Status Quo, Aerosmith, Black Sabbath, Uriah Heep, AC/DC, Scorpions, Kiss, e Rush, intensificaram o modo de tocar, conduzindo suas guitarras rumo ao hard rock.

1980 - A partir da década de 1980, o punk rock evoluiu para muitos sub-gêneros. O primeiro deles é o movimento underground hardcore punk. O novo som era caracterizado inicialmente por tempos extremamente acelerados, canções curtas, letras baseadas no protesto político e social, revolta e frustrações individuais, cantadas de forma agressiva. Bad Brains, Black Flag, Minor Threat são os principais expoentes desta vertente punk.

1990 - Sons pesados e distorcidos, mas sem ser metal, era o Grunger. principal banda desse estilo era o Nirvana, que tinha um som voltado para o alternative.
 




Chuck Berry - Johnny B. Goode

 

Beatles - Let It Be
- isto é simplesmente TUDO -




O Rock No Brasil:

O rock desembarcou no Brasil no fim da década de 1950, época em que a Bossa Nova predominava. Os primeiros sucessos de rock brasileiros foram "Banho de Lua" e "Estúpido Cupido", da cantora Celly Campelo. Ainda nos anos sessenta, surgiu a Jovem Guarda, primeiro movimento do rock no país. O gênero se popularizou em terras brasileiras através de cantores como Roberto Carlos, Erasmo Carlos e Wanderléa. No final da década, o grupo Mutantes misturou o rock à diversidade da música brasileira. Foram também os primeiros a serem conhecidos no exterior. Em 1970 surge no rock brasileiro nomes como o grupo Secos e Molhados e Raul Seixas.
Na década seguinte destacam-se as bandas: Lagião Urbana, Ultraje a Rigor, Ira!, RPM, Titãs, Barão Vermelho, Kid Abelha, Engenheiros do Hawaii, Blitz e Os Paralamas do Sucesso.
A banda Sepultura, se torna um dos principais nomes do heavy metal no Brasil e de destaque no mundo.

Raul Seixas - Maluco Beleza



RPM - Olhar 43



Foi transmitido ao vivo pela BBC para diversos países e abriu os olhos do mundo para a miséria no continente africano. 20 anos depois, em 2005, Bob Geldof organizou o Live 8 como uma nova edição, com estrutura maior e shows em mais países com o objetivo de pressionar os líderes do G8 para perdoar a dívida externa dos países mais pobres erradicar a miséria do mundo.

Desde então o dia 13 de julho passou a ser conhecido como Dia Mundial do Rock


domingo, 26 de junho de 2011
Esta velha angústia, 
Esta angústia que trago há séculos em mim, 
Transbordou da vasilha, 
Em lágrimas, em grandes imaginações, 
Em sonhos em estilo de pesadelo sem terror, 
Em grandes emoções súbitas sem sentido nenhum. 

Transbordou. 
Mal sei como conduzir-me na vida 
Com este mal-estar a fazer-me pregas na alma! 
Se ao menos endoidecesse deveras! 
Mas não: é este estar entre, 
Este quase, 
Este poder ser que..., 
Isto. 

Um internado num manicômio é, ao menos, alguém, 
Eu sou um internado num manicômio sem manicômio. 
Estou doido a frio, 
Estou lúcido e louco, 
Estou alheio a tudo e igual a todos: 
Estou dormindo desperto com sonhos que são loucura 
Porque não são sonhos. 
Estou assim... 

Pobre velha casa da minha infância perdida! 
Quem te diria que eu me desacolhesse tanto! 
Que é do teu menino? Está maluco. 
Que é de quem dormia sossegado sob o teu teto provinciano? 
Está maluco. 
Quem de quem fui? Está maluco. Hoje é quem eu sou. 

Se ao menos eu tivesse uma religião qualquer! 
Por exemplo, por aquele manipanso 
Que havia em casa, lá nessa, trazido de África. 
Era feiíssimo, era grotesco, 
Mas havia nele a divindade de tudo em que se crê. 
Se eu pudesse crer num manipanso qualquer — 
Júpiter, Jeová, a Humanidade — 
Qualquer serviria, 
Pois o que é tudo senão o que pensamos de tudo? 

Estala, coração de vidro pintado! 

Álvaro de Campos, in "Poemas" 
Heterónimo de Fernando Pessoa


sexta-feira, 24 de junho de 2011
Até agora eu não me conhecia, 
julgava que era Eu e eu não era 
Aquela que em meus versos descrevera 
Tão clara como a fonte e como o dia. 

Mas que eu não era Eu não o sabia 
mesmo que o soubesse, o não dissera... 
Olhos fitos em rútila quimera 
Andava atrás de mim... e não me via! 

Andava a procurar-me - pobre louca!- 
E achei o meu olhar no teu olhar, 
E a minha boca sobre a tua boca! 

E esta ânsia de viver, que nada acalma, 
E a chama da tua alma a esbrasear 
As apagadas cinzas da minha alma! 

Florbela Espanca
sábado, 18 de junho de 2011
Já escondi um AMOR com medo de perdê-lo, já perdi um AMOR por escondê-lo.
Já segurei nas mãos de alguém por medo, já tive tanto medo, ao ponto de nem sentir minhas mãos.
Já expulsei pessoas que amava de minha vida, já me arrependi por isso.
Já passei noites chorando até pegar no sono, já fui dormir tão feliz, ao ponto de nem conseguir fechar os olhos.
Já acreditei em amores perfeitos, já descobri que eles não existem.
Já amei pessoas que me decepcionaram, já decepcionei pessoas que me amaram.
Já passei horas na frente do espelho tentando descobrir quem sou, já tive tanta certeza de mim, ao ponto de querer sumir.
Já menti e me arrependi depois, já falei a verdade e também me arrependi.
Já fingi não dar importância às pessoas que amava, para mais tarde chorar quieta em meu canto.
Já sorri chorando lágrimas de tristeza, já chorei de tanto rir.
Já acreditei em pessoas que não valiam a pena, já deixei de acreditar nas que realmente valiam.
Já tive crises de riso quando não podia.
Já quebrei pratos, copos e vasos, de raiva.
Já senti muita falta de alguém, mas nunca lhe disse.
Já gritei quando deveria calar, já calei quando deveria gritar.
Muitas vezes deixei de falar o que penso para agradar uns, outras vezes falei o que não pensava para magoar outros.
Já fingi ser o que não sou para agradar uns, já fingi ser o que não sou para desagradar outros.
Já contei piadas e mais piadas sem graça, apenas para ver um amigo feliz.
Já inventei histórias com final feliz para dar esperança a quem precisava.
Já sonhei demais, ao ponto de confundir com a realidade... Já tive medo do escuro, hoje no escuro "me acho, me agacho, fico ali".
Já cai inúmeras vezes achando que não iria me reerguer, já me reergui inúmeras vezes achando que não cairia mais.
Já liguei para quem não queria apenas para não ligar para quem realmente queria.
Já corri atrás de um carro, por ele levar embora, quem eu amava.
Já chamei pela mamãe no meio da noite fugindo de um pesadelo. Mas ela não apareceu e foi um pesadelo maior ainda.
Já chamei pessoas próximas de "amigo" e descobri que não eram... Algumas pessoas nunca precisei chamar de nada e sempre foram e serão especiais para mim.
Não me dêem fórmulas certas, porque eu não espero acertar sempre.
Não me mostre o que esperam de mim, porque vou seguir meu coração!
Não me façam ser o que não sou, não me convidem a ser igual, porque sinceramente sou diferente!
Não sei amar pela metade, não sei viver de mentiras, não sei voar com os pés no chão.
Sou sempre eu mesma, mas com certeza não serei a mesma pra SEMPRE!
Gosto dos venenos mais lentos, das bebidas mais amargas, das drogas mais poderosas, das idéias mais insanas, dos pensamentos mais complexos, dos sentimentos mais fortes.
Tenho um apetite voraz e os delírios mais loucos.
Você pode até me empurrar de um penhasco que eu vou dizer:
- E daí? EU ADORO VOAR!



Clarice Lispector

"Refugia-te na Arte" diz-me Alguém 
"Eleva-te num vôo espiritual, 
Esquece o teu amor, ri do teu mal, 
Olhando-te a ti própria com desdém. 

Só é grande e perfeito o que nos vem 
Do que em nós é Divino e imortal! 
Cega de luz e tonta de ideal 
Busca em ti a Verdade e em mais ninguém!" 

No poente doirado como a chama 
Estas palavras morrem... E n'Aquele 
Que é triste, como eu, fico a pensar... 

O poente tem alma: sente e ama! 
E, porque o sol é cor dos olhos d'Ele, 
Eu fico olhando o sol, a soluçar...
 

Florbela Espanca

domingo, 5 de junho de 2011

Para viver um grande amor, preciso é muita concentração e muito siso, muita seriedade e pouco riso — para viver um grande amor.

Para viver um grande amor, mister é ser um homem de uma só mulher; pois ser de muitas, poxa! é de colher... — não tem nenhum valor.

Para viver um grande amor, primeiro é preciso sagrar-se cavalheiro e ser de sua dama por inteiro — seja lá como for. Há que fazer do corpo uma morada onde clausure-se a mulher amada e postar-se de fora com uma espada — para viver um grande amor.

Para viver um grande amor, vos digo, é preciso atenção como o "velho amigo", que porque é só vos quer sempre consigo para iludir o grande amor. É preciso muitíssimo cuidado com quem quer que não esteja apaixonado, pois quem não está, está sempre preparado pra chatear o grande amor.

Para viver um amor, na realidade, há que compenetrar-se da verdade de que não existe amor sem fidelidade — para viver um grande amor. Pois quem trai seu amor por vanidade é um desconhecedor da liberdade, dessa imensa, indizível liberdade que traz um só amor.

Para viver um grande amor, il faut além de fiel, ser bem conhecedor de arte culinária e de judô — para viver um grande amor.

Para viver um grande amor perfeito, não basta ser apenas bom sujeito; é preciso também ter muito peito — peito de remador. É preciso olhar sempre a bem-amada como a sua primeira namorada e sua viúva também, amortalhada no seu finado amor.

É muito necessário ter em vista um crédito de rosas no florista — muito mais, muito mais que na modista! — para aprazer ao grande amor. Pois do que o grande amor quer saber mesmo, é de amor, é de amor, de amor a esmo; depois, um tutuzinho com torresmo conta ponto a favor...

Conta ponto saber fazer coisinhas: ovos mexidos, camarões, sopinhas, molhos, strogonoffs — comidinhas para depois do amor. E o que há de melhor que ir pra cozinha e preparar com amor uma galinha com uma rica e gostosa farofinha, para o seu grande amor?

Para viver um grande amor é muito, muito importante viver sempre junto e até ser, se possível, um só defunto — pra não morrer de dor. É preciso um cuidado permanente não só com o corpo mas também com a mente, pois qualquer "baixo" seu, a amada sente — e esfria um pouco o amor. Há que ser bem cortês sem cortesia; doce e conciliador sem covardia; saber ganhar dinheiro com poesia — para viver um grande amor.

É preciso saber tomar uísque (com o mau bebedor nunca se arrisque!) e ser impermeável ao diz-que-diz-que — que não quer nada com o amor.

Mas tudo isso não adianta nada, se nesta selva oscura e desvairada não se souber achar a bem-amada — para viver um grande amor.



Vinicius de Moraes
segunda-feira, 16 de maio de 2011
Por acaso, te encontrei.
Mas nunca pensei que isso um dia poderia acontecer...
Você era apenas um conhecido, o amigo de uns amigos.
Quem sabe um dia, seria o meu amigo.
Mas nunca pensei... Em você.
Por acaso, te encontrei.
Reencontrei.
Mas nunca pensei que isso um dia poderia acontecer...
Nunca pensei em você.
Aconteceu.
Por acaso te reencontrei.
Entre conversas, e conversas,
e você me fez sentir tão bem, me fez pensar, além...
Hoje não deixo de pensar... Em você.
Pensar em te rever, e talvez,
pensar em fazer acontecer,
tudo outra vez.
Poder me sentir outra vez, bem.
Mas você está longe, longe de mim.
As vezes tão perto, perto de meus pensamentos.
Talvez um dia, perto dos meus sentimentos.
Mas você está longe, longe de mim.
Eu penso em você,
penso seriamente, em te rever.
Poder mas uma vez, te tocar...
Mas uma vez poder de abraçar, poder te beijar...
Estive pensando, gostei mesmo de você.
Mas eu nunca consegui de verdade esquecer.
Nunca pensei que isso um dia poderia acontecer...
Volta, e me faz pensar somente em você.



sábado, 7 de maio de 2011
Por que Deus permite
que as mães vão-se embora?
Mãe não tem limite,
é tempo sem hora,
luz que não apaga
quando sopra o vento
e chuva desaba,
veludo escondido
na pele enrugada,
água pura, ar puro,
puro pensamento. 

Morrer acontece
com o que é breve e passa
sem deixar vestígio.
Mãe, na sua graça,
é eternidade.
Por que Deus se lembra
- mistério profundo -
de tirá-la um dia?
Fosse eu Rei do Mundo,
baixava uma lei:
Mãe não morre nunca,
mãe ficará sempre
junto de seu filho
e ele, velho embora,
será pequenino
feito grão de milho.

Carlos Drummond de Andrade

domingo, 1 de maio de 2011
Tortura do pensar! Triste lamento! 
Quem nos dera calar a tua voz! 
Quem nos dera cá dentro, muito a sós, 
Estrangular a hidra num momento! 

E não se quer pensar! ... e o pensamento 
Sempre a morder-nos bem, dentro de nós ... 
Querer apagar no céu – ó sonho atroz! – 
O brilho duma estrela, com o vento! ... 

E não se apaga, não ... nada se apaga! 
Vem sempre rastejando como a vaga ... 
Vem sempre perguntando: “O que te resta? ...” 

Ah! não ser mais que o vago, o infinito! 
Ser pedaço de gelo, ser granito, 
Ser rugido de tigre na floresta! 

Florbela Espanca


sábado, 30 de abril de 2011
Quem Sabe um Dia
Quem sabe um dia
Quem sabe um seremos
Quem sabe um viveremos
Quem sabe um morreremos!

Quem é que
Quem é macho
Quem é fêmea
Quem é humano, apenas!

Sabe amar
Sabe de mim e de si
Sabe de nós
Sabe ser um!

Um dia
Um mês
Um ano
Um(a) vida!

Sentir primeiro, pensar depois
Perdoar primeiro, julgar depois
Amar primeiro, educar depois
Esquecer primeiro, aprender depois

Libertar primeiro, ensinar depois
Alimentar primeiro, cantar depois

Possuir primeiro, contemplar depois
Agir primeiro, julgar depois

Navegar primeiro, aportar depois
Viver primeiro, morrer depois
sábado, 23 de abril de 2011
Entre montanhas, encontrei uma tal de Felicidade...
Oh, Felicidade, de onde vens? Pra onde irás? Irás vir pra mim?
Entre montanhas... deparei-me com uma tal de Alegria...
Alegria será que virás até mim? Será que ainda poderás trazê-lo pra mim?
Trazer aquele, aquele que é meu grande amor, mas, quem mesmo sabe o que é o amor?
... Será que você sabe o que é o amor?
Entre montanhas encontrei um tal de Trem Azul,
que andando por seus trilhos, levava alegrias e emoções a muitos corações...
Entre montanhas encontrei um tal de Milton,
que de tanto renascer seu nome é Nascimento,
com sua voz, em MilTons, leva aos corações
tantas alegrias, tantos sentimentos, tanta nostalgia...
Ah... que saudade daquele tempo de tal felicidade, de tal alegria...
Que até hoje me relembro com um tal de Nascimento, com um tal de Milton Nascimento.
Que com seus mil tons me trás e me faz levar tantas alegrias, tantas emoções a tantos corações...
Tanta nostalgia ao meu coração que carece de alegria...

sexta-feira, 22 de abril de 2011
Não precisa ser homem, basta ser humano, basta ter sentimentos, basta ter coração. Precisa saber falar e calar, sobretudo saber ouvir. Tem que gostar de poesia, de madrugada, de pássaro, de sol, da lua, do canto, dos ventos e das canções da brisa. Deve ter amor, um grande amor por alguém, ou então sentir falta de não ter esse amor.. Deve amar o próximo e respeitar a dor que os passantes levam consigo. Deve guardar segredo sem se sacrificar.

Não é preciso que seja de primeira mão, nem é imprescindível que seja de segunda mão. Pode já ter sido enganado, pois todos os amigos são enganados. Não é preciso que seja puro, nem que seja todo impuro, mas não deve ser vulgar. Deve ter um ideal e medo de perdê-lo e, no caso de assim não ser, deve sentir o grande vácuo que isso deixa. Tem que ter ressonâncias humanas, seu principal objetivo deve ser o de amigo. Deve sentir pena das pessoa tristes e compreender o imenso vazio dos solitários. Deve gostar de crianças e lastimar as que não puderam nascer.

Procura-se um amigo para gostar dos mesmos gostos, que se comova, quando chamado de amigo. Que saiba conversar de coisas simples, de orvalhos, de grandes chuvas e das recordações de infância. Precisa-se de um amigo para não se enlouquecer, para contar o que se viu de belo e triste durante o dia, dos anseios e das realizações, dos sonhos e da realidade. Deve gostar de ruas desertas, de poças de água e de caminhos molhados, de beira de estrada, de mato depois da chuva, de se deitar no capim.

Precisa-se de um amigo que diga que vale a pena viver, não porque a vida é bela, mas porque já se tem um amigo. Precisa-se de um amigo para se parar de chorar. Para não se viver debruçado no passado em busca de memórias perdidas. Que nos bata nos ombros sorrindo ou chorando, mas que nos chame de amigo, para ter-se a consciência de que ainda se vive.


Vinícius de Moraes


segunda-feira, 18 de abril de 2011
Ah, o amor... Amor?!
Quem será que conhece o amor?
Será que não era apenas uma grande paixão? Paixão?
Talvez seria apenas o fruto de uma grande e bonita amizade. Ou talvez seria a amizade, fruto de tanto amor?
Mas quem falou que sabe o que é o amor?
Talvez você nunca tenha amado, talvez nem eu tenha amado, será?
E aquele sentimento tão... tão intenso, tão forte que eu sentia, sentimento que ainda sinto... Seria o amor?
Ou seria a paixão? Talvez uma grande amizade? Será?
Não... É amor, é amor o que eu sinto, amor? Como você sabe que é amor? Como eu sei o que é o amor?
Talvez eu nunca tenha amado, talvez você nunca tenha amado, será que agente nunca se amou?
Quem sabe agente ja foi amado...
Mas quem sabe mesmo o que é o amor? Quem sabe o que é ser amado?

E você? Será que sabe o que é amar? Será que sabe ser amado?
Será que sabe o que é o amor?
Amor? Será?



sábado, 16 de abril de 2011
Acredite:
existe dor que dói mais que a própria morte
Uma dor causada pela fraqueza e
o desassossego da insanidade emocional  humana.
Do amor, que até então verdadeiro, não me restou muita coisa,
e o que permaneceu está fadado  a um  exílio taciturno
dentro  de um coração desenganado.
Onde havia jardins só restou deserto,
onde  havia alegria tomou conta o silêncio,
onde borbulhava vida, existe apenas uma nascente contaminada,
sôfrega, a espera de um chuva que renove a vida, mas
que lá no fundo,
jamais choverá !
Erminio Rezende
 
 
sexta-feira, 15 de abril de 2011
  Sendo este um jornal por excelência, e por excelência dos precisa-se e oferece-se, vou pôr um anúncio em negrito: precisa-se de alguém homem ou mulher que ajude uma pessoa a ficar contente porque esta está tão contente que não pode ficar sozinha com a alegria, e precisa reparti-la. Paga-se extraordinariamente bem: minuto por minuto paga-se com a própria alegria. É urgente pois a alegria dessa pessoa é fugaz como estrelas cadentes, que até parece que só se as viu depois que tombaram; precisa-se urgente antes da noite cair porque a noite é muito perigosa e nenhuma ajuda é possível e fica tarde demais. Essa pessoa que atenda ao anúncio só tem folga depois que passa o horror do domingo que fere. Não faz mal que venha uma pessoa triste porque a alegria que se dá é tão grande que se tem que a repartir antes que se transforme em drama. Implora-se também que venha, implora-se com a humildade da alegria-sem-motivo. Em troca oferece-se também uma casa com todas as luzes acesas como numa festa de bailarinos. Dá-se o direito de dispor da copa e da cozinha, e da sala de estar. P.S. Não se precisa de prática. E se pede desculpa por estar num anúncio a dilacerar os outros. Mas juro que há em meu rosto sério uma alegria até mesmo divina para dar.

domingo, 10 de abril de 2011

 
O dia mais belo? - Hoje...
A coisa mais fácil?- Equivocar-se...
O maior obstáculo? - Medo...
O maior erro? - Abandonar-se...
A raiz de todos os males? - Egoísmo...
A distração mais bela? - Trabalho...
A pior derrota? - Desalento...
Os maiores professores? - Crianças...
A primeira necessidade? - Comunicar-se...
De mais feliz a se fazer? - Ser útil aos demais...
O maior mistério? - A morte...
O pior defeito? - O mau humor..
A pessoa mais perigosa? - A mentirosa...
O sentimento pior? - O rancor...
O presente mais belo? - O perdão...
O mais imprescindível? - Orar...
O caminho mais rápido? - O correto...
A sensação mais grata? - A paz interior...
A expressão mais eficaz? - O sorriso...
O melhor remédio? - O otimismo...
A maior satisfação? - O dever cumprido...
A força mais potente do universo? - A fé...
As pessoas mais necessárias? - Os pais...
A coisa mais bela de todas? - O amor...


(Madre Teresa de Calcutá)
A VIDA É O TREM QUE PASSA

A vida é o trem que passa
Os sonhos são vagões
O amor é o maquinista
Somos nós, a estação!

Adquira seu bilhete, faça sua escolha
O trem vai seguindo continuadamente
Em cada vagão, o desejo de sua mente
...há também tristezas, desilusões
Com a passagem na mão, escolha!

A viagem, se longa não sabemos
A bagagem é cada dia vivenciada
Mudar o rumo, podemos
Sem mesmo saber da parada

A estação nunca pode estar vazia
Será sempre um passeio viver
Se sentar na janela, aprecie
Tudo é passagem, algo pode reter

Cada dia que passa é contagem regressiva
Viaje como se cada instante fosse único
Cada olhar como se fosse o último

Respire fundo, o caminho é longo
Encontrará adversidades
...tristezas
...saudades
...abismos
...retas
.curvas
inúmeras serão as vezes
que não veremos o que há além da curva
Mas o percurso seguirá sonhando

A vida é uma viagem
Somos mutantes
Somos passageiros
Somos nuvens
Somos fumaça

Por não saber decifrar o mapa da vida
Algumas vezes nos perderemos no trajeto
Mas, para quem sonha, nada é impossível
nunca se perde, sempre se encontra

Escute, ouça, é o apito de mais uma partida
Poderá estar partindo para novos lugares
sem roteiros
sem destino
sem poente ou nascente
A direção é para a felicidade
Conduzirá e será conduzido
O maquinista sempre atento
na história, na vida

De tudo que viver, uma coisa é certa:
Não se canse da viagem, prossiga
Lute, grite, implore
Mas não desista
...se cansar, acene, sorria
O maquinista não te deixará
Não hesite, não tema
Onde parar, um coração
certamente o acalentará

A viagem prossegue
...e sabendo onde quer ir
Vá seguro, você consegue
Sabendo sempre que vai valente...
sua viagem será eternamente...
no vagão de primeira classe.
(Marillena S. Ribeiro)



Encontros e Despedidas

Maria Rita - Autor: Milton Nascimento
sexta-feira, 8 de abril de 2011

Milton Nascimento - E a gente sonhando. 

E a gente sonhando. 
Milton Nascimento. 


Gente de um dia se abrindo 
De um sol se entregando 
Ao espaço de um céu assim... 

Alma do longo das ruas 
Vivendo uma vida 
Que está pra ter fim... 

Gente, reclama de tudo 
Tristeza enfrentando 
Acha tempo pra rir... 

Corre errante o seu mundo 
Toda a vida chegando 
Vida inteira partiu... 

Há quem muito sofre 
Porque quer sofrer 
Há quem muito chora 
Porque quer chorar... 

Há quem não quer nada 
E de tudo tem 
E tendo de tudo, 
Nunca tem ninguém... 

Gente da noite surgindo 
Um sol foi sumindo 
E uma lua chegando... 

Muitos são lua no dia 
Outros sol pela noite 
E a gente sonhando...


*música linda linda... (:
(Porque eu tenho medo de altura. Tenho medo de cair para dentro de você. Há nos seus olhos castanhos certos desenhos que me lembram montanhas, cordilheiras vistas do alto, em miniatura. Então, eu desvio os meus olhos para amarra-los em qualquer pedra no chão e me salvar do amor. Mas, hoje, não encontraram pedra. Encontraram flor. E eu me agarrei às pétalas o mais que pude, sem sequer perceber que estava plantada num desses abismos, dentro dos seus olhos.)

— Ah. Porque eu sou tímida.

Rita Apoena


Amor. Bolinhas de sabão. O som de copos com água. O som das gotas no chão. Um sorriso tímido. A música por trás dos ruídos. Um coração encostado no outro. Um ou dois para sempres. Um avião nas mãos de um menino. Um barquinho de papel. Uma pipa atravessando as nuvens. Uma sementeira de tulipas. Um mingauzinho de aveia. Um par de meias listradas. Dois ou três cata-ventos. Uma palavra inventada.

(Rita Apoena)
terça-feira, 22 de março de 2011
"... E agente sonhando"

Bem, para quem não sabe, eu vou contar, eu sou COMPLETAMENTE apaixonada pelo Bituca! hahahahha/ E agora queria falar aqui um pouquinho sobre seu novo projeto, que reúniu vérios músicos da minha querida Três Pontas-MG, músicos que eu conheço a um bom tempo, e adoro muito todos, então voltando ao assunto, Milton após saber que a pequenina cidade do sul das Minas Gerais onde morou, estava no mapa musical Brasileiro publicado na revista “Billboard”, percorreu por vários bares, restaurantes, etc, para conhecer a turma trespontana, então convidou-os para participar de uma faixa bônus no disco "Pietá" de 2002, que também contou com a presença de Maria Rita e Marina Machado, em "Pietá" os meninos de Três Pontas dividiram os vocáis com o grande Milton e Lenine na música "Paciência" - lembrando que ficou MARAVILHOSO.
  Agora Milton, volta a Três Pontas como o disco "...E agente sonhando" - para mim e para muitos dos meninos foi um sonho realizado, mas por que não continuar sonhando? -,neste disco Milton resolveu trabalhar apenas com gente de Três Pontas. Além dos músicos, "...E agente sonhando" contou também com o designer e fotógrafo Milton Lima - vulgo Miltinho - e a fotógrafa Vanucsa Campos, entre outros.
  No novo disco, Milton traz músicas inéditas, regravações,  além de músicas de autoria de alguns músicos do grupo ÄNÏMÄ MINAS, - posso afirmar que as músicas são incrívelmentes maravilhosas, vale muito a pena conferir.

* "Olhos do Mundo" (Marco Elízeo/Heitor Branquinho)

* "Eu, Pescador" (Clayton Prosperi/Haroldo Jr)

*  "Do Samba, do Jazz, do Menino e do Bueiro" (Ismael Tiso Jr/Miller Rabello de Brito)

  "Resposta ao Tempo", "Advinha O Que", "O Sol" são algumas das regravações.

*************************************************************************

  Agora Milton está com uma turner nacional, o show de estréia foi em Porto Alegre, no 20/03 - as expectativas eram grandes e as dificuldades eram muitas, mas ocorreu tudo bem.. - no dia 12/03 Milton chegou a Três Pontas para os ensaios, realizados no Centro Cultural Milton Nascimento, os shows trará a música "Anima" com novos arranjos, - quem tiver a oportunidade de presenciar algum show, não perca, PLEASE! -
  Milton apresentou algumas músicas do disco ano passado no Festival Música do Mundo em Três Pontas, o Festival contou com vários  grandes músicos com Sá & Guarabira, Jorge Versilo, Mallu Magalhães, 14 Bis, e muitos outros artistas, - mas para mim o melhor e mais emocionante, foi com certeza o show de Milton né, ver o meu MESTRE, aquela voz maravilhosa que me emociona, e também os meninos que arrasaram, e que sem dúvidas vão continuar arrasando por esse Brasil -

  MENINOS, MENINOS!!!
  Não vou citar nomes, porque são muitos né, vocês sabem do meu carinho por todos, e sabem também que adoro o trabalho de vocês, tô aqui torcendo muito por todos, sei que vão arrasar por onde passarem. Desejo todo sucesso de mundo para TODOS, e para aqueles mais especiais, desejo muito  SUCESSO, FELICIDADES, E BLÁ BLÁ BLÁ...
  Parabéns a todos, vocês merecem tudo isso e muito mais, acho que isso foi um sonhos realizado, não?! Mas continuem SONHANDO, porque como disse Clayton pra mim um dia: "A vida é feita de sonhos..." - Clayton, Clayton, nunca me esqueci ein, hahahah - Então vamos continuar sonhando, acreditando e REALIZANDO...
Mas uma vez "E agente sonhando"


  Falando em SONHOS, lembrei-me: na segunda-feira dia 15/03, eu e uma amiga realizamos um sonho, na verdade eu ja havia realizado este tal sonho, mas, o que custa realiza-lo novamente?
  Dia 15/03, conheci o MESTRE MILTON NASCIMENTO mais uma vez, "reconheci"... Fomos a casa dele aqui em Três Pontas, mas, ficamos com MUITA VERGONHA... Então ficamos sentadas na escada tentando ouvir a voz do MESTRE, duas abobalhadas invadindo a casa de MESTRE, hahahahah, mas não vem ao caso agora.
  Quando a noite se aproximava resolvemos voltar, chegamos lá, apertamos a "campainha" no impulso, MORRENDO de vergonha falei pro João Vitor que queríamos conhecer o Bituca, entramos. Entramos e eu comecei a tremer. na frente do meu REI, meu MESTRE não tinha como não ficar nervosa né ?! hahahha. Enfim, um SONHO REALIZADO, pela segunda ou terceira vez, e quero realiza-lo mais vezes uai... hahahah
  - E, é isso, "...E agente sonhando" SEMPRE.
sábado, 19 de março de 2011

"... E agente sonhando", é o novo projeto de Milton Nascimento.
Milton reúne vários músicos de Três Pontas - cidadezinha do sul de Minas, lugar onde morou com sua mãe adotiva Lilia, e Josino -, foram selecionado 25 artistas – entre cantores, instrumentistas e compositores - desta vez o destaque ficou por conta de três vozes masculinas, Bruno Cabral, Ismael Tiso Jr., e Paulo Francisco.
Estão presente músicas inéditas, e, algumas regravações como "Resposta ao Tempo" de Cristovão Bastos e Aldir Blanc, "Adivinha o Quê", de Lulu Santos, e "Estrela, Estrela", de Vitor Ramil.
Milton ja havia trabalhado com os músicos de Três Pontas no disco "Pietá" de 2002, que também contou com a presença de Maria Rita e Marina Machado.
"...E agente sonhando" que leva o título do disco, foi uma das primeiras músicas composta por Milton, quando ainda trabalhava como datilógrafo na capital mineira.


As músicas foram gravadas em julho de 2009, e julho de 2010, Milton veio para Três Pontas com o técnico de som para registar as vozes de Três Pontas, os ajustes finais foram feitos no estúdio de Milton no RJ, lembrando que os músicos foram levados a Milton através de seu amigo trespontano Marco Elízeo. Marco assina com Milton a produção musical do novo álbum.

REPERTÓRIO

1. E a Gente Sonhando
2. Flor de Ingazeira
3. O Ateneu
4. Do Samba do Jazz
5. Estrela Estrela
6. Raras Maneiras
7. O Sol
8. Espelho de Nós
9. Me Faz Bem
10. Resposta ao Tempo
11. Amor do Céu, Amor do Mar
12. Gota de Primavera
13. Adivinha o que
14. Sorriso
15. Olhos do Mundo
16. Eu Pescador



*************************************************************************************
Posso afirmar a todos que o disco está MARAVILHOSO, sem falar que esses meninos são incríveis, cantam lindamente, encantam.

*************************************************************************************






Tragédia no Japão deixou mais de 16 mil mortos ou desaparecidos


O terremoto seguido por tsunami que devastou o nordeste do Japão há uma semana deixou 6.405 mortos confirmados e 10.259 desaparecidos, anunciou a polícia nesta sexta-feira.

O número de feridos é de 2.409.

Sete dias após a tragédia, as chances de se encontrar pessoas entre os escombros com vida são cada vez menores, e o número de mortos deve subir diariamente.




Tecnologia do Blogger.

Google+ Followers

Follow by Email

Follow by Email

Marcadores

Seguidores

Pesquisar este blog